Lista de Palavras-Chave: 3 Ferramentas Gratuitas para Criar a Sua [+Dicas]

0 Flares 0 Flares ×

lista-de-palavras-chave

Antes de escrever a primeira linha de qualquer artigo para seu blog, é importante definir sua lista de palavras-chave. Mas, como fazer isso de forma descomplicada sem tomar todo o tempo do mundo?

Essas realmente são boas perguntas, por isso neste guia prático vamos adquirir alguns conhecimentos poderosos que te darão insights bem legais para construir sua relação de termos SEO.

Fique conosco. Neste artigo veremos:

3 Ferramentas Gratuitas Que salvarão Seu Dia… E o do Rex

Você poderia pintar uma parede inteira utilizando apenas um pequeno pincel e muita força de vontade e o resultado final possivelmente seria muito bom.

Contudo, isso levaria uma vida inteira (ou uma luta do Dragon Ball Z, que é quase a mesma coisa)!

E se ao invés disso, você utilizasse um rolo de tinta (que espalharia melhor o material e cobriria uma área muito maior)? Talvez pintar essa parede fosse uma tarefa bem mais rápida e indolor. Até sobraria um tempinho para brincar com seus filhos ou mesmo com o Réx, que anda tão tristinho ultimamente.

Por isso, usar ferramentas certas pode deixar seu trabalho muito mais prático e eficiente. Além de te poupar um monte de tempo, que é um artigo de luxo hoje em dia.

E na hora de construir sua lista de palavras-chave não é diferente, lançar mão dessas ferramentas é primordial. Afinal, tempo é vida!

Existe uma gama enorme de aparatos que podem nos auxiliar na criação de nossa lista de keywords; algumas são pagas, outras free.

Todavia, para manter nosso artigo simples, fluido e funcional, usaremos apenas 3 mecanismos gratuitos e bastante robustos. Isso permitirá que no final da leitura, você já possa sair aplicando seus conhecimentos e melhorar a qualidade técnica de seu trabalho.

E se sentir necessidade, com o tempo pode ir sofisticando seu processo e testando novas maneiras de trabalhar suas palavras-chave.

1- Avaliando tendências com o Google Trends (GT)

Vamos começar com Trends, uma ferramenta sensacional disponibilizada pelo Google, que nos permite avaliar o interesse por determinado assunto no decorrer do tempo e certificar, antes mesmo de digitar a primeira letra, se aquele artigo que vamos escrever tem demanda ou não. Falando de outra maneira, o GT informa a força da palavra-chave.

google-trends-home-big

Logo na página inicial são mostrados os assuntos mais buscados do dia (semelhante aos Moments do Twitter). Dependendo do seu nicho, pode-se começar a ter boas idéias a partir dali.

Contudo, se seu assunto for um pouco mais específico, podemos fazer uma pesquisa pelo termo direto na caixa de busca. Isso nos levará a um painel repleto de informações interessantes.

Aprofundando a pesquisa

Imaginemos que você tenha decido escrever sobre um seriado que gosta, mas está na dúvida qual poderá gerar mais visitas. Esta é uma boa hora para deixar o Trends te dar uma mão. Vamos supor que você goste de: The Walking Dead(TWD), Game Of Thrones(GOT) e Stranger Things(ST).

google-trends-comparar

Como visto, no painel você pode tanto analisar o desempenho de uma única palavra como também fazer comparações entre vários outros assuntos. No caso de nosso exemplo: “Qual série devo escrever?”, só uma olhadinha no gráfico já pode matar essa dúvida.

Assim como o esquema mostra, GOT atingiu maior interesse em comparação às outras séries no decorrer do tempo, porém no dia que o print foi feito a série teve uma queda bastante acentuada e obteve um empate técnico com The Walking Dead. Da mesma forma, contrastando Stranger Things com o primeiro e o segundo lugar, não parece a principio uma boa ideia. Notou que eu disse ‘a princípio’?

Uma observação

É importante ressaltar que o número mostrado ao lado de cada termo não reflete o volume de pesquisas, mas sim o nível de interesse (de 0 a 100) com base no maior pico de relevância entre as palavras-chave analisadas. Neste caso, o grau de nivelamento é feito segundo GOT.

No entanto, se avaliássemos, por exemplo, o termo de busca Stranger Things, o que veríamos?


Interessante.

O Trends nos permite configurar a pesquisa confrontando o termo com ele mesmo, porém sob categorias diferentes:

  1. Seriado de Ficção Científica (nicho)
  2. Termo de pesquisa

A verificação nos mostra que, tanto para o termo aberto (vermelho) quanto para o termo de nicho (azul), houve um aumento repentino de buscas a partir de 17 de Julho seguido de uma queda significativa a partir de 31 de Agosto. Isso significa que o termo esteve bastante ‘quente’ durante quase dois meses, e que por hora (agora sim com respaldo de dados) parece uma escolha melhor continuar falando de GOT ou mesmo TWD, que apresentou um aumento interessante nos últimos dias.

Além dessa funcionalidade de comparação, que por si só já é bem útil, GT traz também informações relevantes como: interesse por região, termos relacionados, aumento s de interesse repentinos, etc.

Em suma, o Google Trends é uma ferramenta muito poderosa e pode evitar que você gaste  tempo de vida escrevendo sobre algo que pode ser que ninguém queira ler.

2 – Sugestões para sua lista de palavras-chave com Keywordtool.io

Falando de tendências, você conhece o Google Suggest (Sugestões do Google)? Claro que sim! Só não sabia o nome.

Basicamente, são aqueles termos que vão aparecendo a medida que você digita sua busca na barra de pesquisa. Ele apresenta os trends relacionados às palavras digitadas e faz uma mescla com o padrão pesquisa e acessos de usuário.

Legal né?

Mas não é dele que vou falar não. Falarei de Keywordtool.io. Uma ferramenta semelhante ao Ubber Suggest, que utiliza esse recurso de autocompletar do Google, mas apresenta-o de forma muito mais dinâmica, oferecendo diversas opções de variações de palavras-chave, especialmente os termos de cauda longa.

keyword-io-home

Bastante robusta, mesmo em sua versão gratuita, possui opções deveras refinadas. Mais adiante no artigo utilizaremos suas funcionalidades.

3 – Avaliando o volume de buscas com Keyword Planner (Planejador de Palavras-chave)

Nota: O Keywordtool.Io nos mostrará várias sugestões de termos, mas o volume de buscas aparecerá borrado, por ser uma funcionalidade da versão paga.

E agora?

Para nossa sorte, o Google disponibiliza uma ferramenta incrível (e grátis, que é melhor ainda) que nos presenteia com informações preciosas para fazermos melhores escolhas para nossos negócios. É o famoso Planejador de Palavras-chave.

Planejador de palavras chave - seoseedrank

O Keyword Planner(KP), que está localizada dentro do Google Adwords, possui uma série de funcionalidades bastante úteis. Entre essas funcionalidades está: identificar o crescimento (ou não) do volume de buscas de determinados termos e apontar palavras que são pouco atrativas. Além disso, é possível conceber várias combinações de forma muito ágil.

Parece legal, né?

E é!

Antes de mais nada, vale ressaltar que o Keyword Planner é desenhado para construir campanhas publicitárias que serão exibidas pelo Google. Então há várias opções que não serão-nos úteis para o escopo deste artigo. Mas não se preocupe, ainda assim ela será bastante útil.

Como usar a ferramenta?

1 – Faça o login no Google Adwords;

2 – Acesse o menu Ferramentas >Planejador de Palavras-chave

GAW keyword palnner menu - seoseedrank

3 – Escolha a opção que melhor se encaixa com seu objetivo. Eu costumo selecionar a primeira pois além de trazer o volume das palavras que selecionei, junto carrega uma outra lista contendo termos relacionados

keyword-planner-tipo-pesquisa-seoseedrank

4 – Configure os filtros

keyword-planner-search-seoseedrank

Mais a frente, abordaremos melhor o uso da ferramenta aplicando suas features à criação de nossa listagem. 

Um pouco sobre Publico Alvo, Persona e o Pedro

De nada adianta construir um conteúdo super rico se você não sabe para quem está fazendo. Primeiramente, devemos determinar quem nosso público alvo e se possível definir uma persona.

“Ué, mas não é a mesma coisa?”

Não!

Como André Siqueira do blog Resultados Digitais cita em seu artigo:

Persona é a representação fictícia do seu cliente ideal. Ela é baseada em dados reais sobre comportamento e características demográficas dos seus clientes, assim como uma criação de suas histórias pessoais, motivações, objetivos, desafios e preocupações.

Em outras palavras, Publico alvo é uma representação geral das pessoas que consomem seu conteúdo e persona é uma especificação, um personagem. Esse tipo de técnica ajuda a humanizar seu público dando um direcionamento melhor na hora de produzir seu conteúdo.

Sendo assim:

  • Quem são as pessoas que deseja atingir?
  • Quais palavras-chave melhor se adequam a este artigo?

Vamos supor, em um novo exemplo, que nossa loja: Action Figures Bonecão, defina seu público-alvo como: Homens e mulheres entre 18 e 40 anos, com curso superior, fãs de animações e personagens de histórias em quadrinhos (geeks).

Essa é uma visão mais geral do publico da loja. No entanto, nossa persona seria Pedro, 25 anos. Formado em Sistemas de Informação e fã de x-men.

Quando se define a persona, fica mais fácil enxergar Pedro como uma pessoa real. Embora não seja obrigatório, isso ajuda a imaginar quem está consumindo seu conteúdo e se você está usando a linguagem correta ou apenas ‘falando pra ninguém’.

Veja:

Após definirmos nossa persona, vimos que o possível visitante do blog da nossa loja pode ser Pedro. Nosso amigo gosta de action figures,  e uma palavra chave ideal para começarmos nossa lista poderia ser ‘bonecos marvel’.

Vamos lá? 

Finalmente: Criando a lista de Palavras-chave

Existem duas estratégias para criação de nossa lista de palavras-chave: a primeira é a estratégia para ranqueamento orgânico (grátis) e a outra é para posicionamento pago. Apesar de essencialmente serem parecidas, os modos de construção e aplicação são diferentes. Por isso, montaremos uma campanha Adwords, passo a passo, num post futuro. Por enquanto, vamos empregar nossos conhecimentos no posicionamento orgânico.

Bem, apresentadas as ferramentas, personas, publico-alvo e o Pedro vamos à criação de nossa lista num guia super descomplicado. Fica comigo.

Passo 1: Escolha o assunto central de seu artigo

Vamos utilizar o Google Trends para pesquisar sobre o interesse no decorrer do tempo da nossa palavra-chave de trabalho: ‘bonecos marvel’.

É pertinente notar que o Trends já traz as principais buscas relacionadas feitas por outras pessoas que pesquisaram pelo mesmo assunto:

Vejamos… Parece que há uma tendência de crescimento gradual nos últimos 5 anos, isso é muito bom.

Certo, e agora?

Passo 2: Recebendo sugestões de palavras-chave

Agora que certificamos que nosso tema tem demanda, vamos dar uma olhada em quais são as combinações sugeridas utilizando o Keywordtool.IO.

ferramenta de Lista de palavras-chave

Ótimo, olhando para essa listas, podemos notar muitos termos de cauda longa que podem (caso você queira segmentar ainda mais) ajudar a qualificar melhor o publico.

Há também a opção de selecionarmos uma aba, onde são sugeridas pesquisas feitas como forma de ‘questões’:

keyword-io-pesquisa-questao

Por fim, vamos exportar nossas listas. Temos três opções:

  • Copiar todas as palavras
  • Exportar como aquivo (formato CSV ou Excel)
  • Copiar apenas as palavras selecionadas.

Ficaremos com a última pois somente algumas palavras são pertinentes ao nosso exemplo.

Após tudo isso, É importante verificarmos o volume de busca de nossa lista e isso nos leva a…

Passo 3: Refinando nossa lista com Keyword Planner

Dando prosseguimento, neste ponto vamos aplicar nossa lista gerada no KeywordTool.io no mecanismo do KP. Essa parte é muito simples, basta repetir as etapas descritas no tópico de apresentação da ferramenta 3 (Planejador de Palavras-chave) e gerar o relatório pressionando o botão obter ideias.

 

keyword-planner-lista-seoseedrank

Na imagem acima, podemos avaliar o volume de busca dos termos de pesquisa, e se forem interessantes a ferramenta nos possibilita adiciona-los (utilizando o botão assinalado) à uma lista a parte.

keyword-planner-relacionadas-seoseedrank

Perceba:

Aqui podemos até excluir termos que não sejam tão relevantes. Nesta segunda imagem, vemos também que a parte de baixo possui uma riquíssima tabela contendo sugestões relacionadas aos nossos termos inseridos originalmente. Da mesma forma podemos adiciona-los à nossa lista corrente e deixá-la ainda mais abundante de opções.

Pronto. Bastas exportar nossa lista final e voilà!

Como dito, o  Planejador de Palavras-chave do Google é uma ferramenta com seu desenho voltado à publicidade, porém há muito valor inserido em seu uso. Estes volumes de pesquisa referentes a cada termo de pesquisa indicam o que as pessoas estão pagando para anunciar. E se há pessoas pagando, temos muitas chances de utilizar algo com grande potencial.

Passo 4: Definindo o objetivo do artigo

Palavras-chave são como uma bassula: Elas no dizem onde ir e se estamos fazendo progresso ou não.

Agora que temos nossa lista, precisamos definir qual o objetivo final de seu artigo. Quais resultados você deseja obter com esse conteúdo?

No caso de nossa loja fictícia Bonecão, temos a finalidade de nutrir o usuário com informações relativas ao mercado de action figures da Marvel e colher, ao final, um e-mail para que ele fique por dentro das novidades via newsletter. A estratégia neste momento e agregar valor ao nosso produto ‘aquecendo o  lead e preparando-o para futuras compras.

Com base na lista que construímos, temos algumas opções. Podemos redigir:

  • Sobre bonecos Marvel como um todo
  • Um personagem específico (Homem-Aranha, Hulk…)
  • Novidade sobre novas coleções

Quando segmentamos, tornamos o assunto mais específico e mais atraente para pessoas realmente interessadas. Pode-se dessa forma diminuir o infame bounce rate (taxa de rejeição), que é aquele índice que aumenta conforme o leitor ao entrar em nossa página, desiste logo em seguida por, de repente, não encontrar o assunto que estava procurando.

Para fixar:

Ser abrangente em suas palavras-chave pode lhe trazer um volume maior de visitas, porém estratégias melhor orientadas trazem trafego mais qualificado. As vezes menos é mais.

Passo 5: Utilizando as palavras

Para finalizar, hora de escrever!

Agora que temos nossa lista de palavras-chave pronta e sabemos a direção para onde seguir,  vamos esculpir nosso artigo da madeira bruta, mas com uma obra já em mente. O segredo aqui é se manter focado na palavra-chave principal  e no decorrer do texto, ir borrifando as palavras que com bastante orgulho construiu nos passos anteriores.

Conclusão

Nossa aventura foi um pouco longa mas valeu apena. Agora você tem novas ferramentas que te ajudaram criar trabalhos mais eficientes com maior chance de sucesso. Não precisa mais pintar aquela parede utilizando só um pincelzinho… O Réx agradece o tempinho que sobrou para você passar com ele!

Recapitulando:

  1. Verifique se existe demanda para sua palavra-chave central no Google Trends
  2. Procure por sugestões no Keyword.Io e monte sua primeira lista
  3. Analise volumes de busca e refine sua lista de palavras-chave no Keyword Planner
  4. Escreve seu artigo salpicando as palavras-chaves de maneira natural

Vale lembrar que esse processo de criação não é o único, porém funciona muito bem para mim. Você conhece algum diferente? Compartilhe com a gente! Não se esqueça de divulgar este artigo em suas redes sociais.

Obrigado e tudo de bom sempre.

Conteúdo VIP

Campos marcados com * são requeridos

Se você gostou desse artigo e quer ficar por dentro de nossas novas postagens, deixe seu endereço no formulário abaixo!

Matane!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Danilo Matos

Danilo Matos é Consultor de Marketing Digital, Desenvolvedor Web e Produtor de House Music pelo grupo @TheMadMonkz Saiba mais aqui

Você pode gostar...

Back To Top
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×